O QueroFicarRico se mudou!

Você será redirecionado em 6 segundos. Caso contrário, visite
http://queroficarrico.com/blog/
e atualize seus favoritos.

quarta-feira, 23 de julho de 2008

ANDAR DE TÁXI OU MANTER UM SEGUNDO CARRO?

De acordo com levantamento do Cefipe (Centro de Estudos de Finanças Pessoais e Negócios), manter um segundo carro pode custar R$ 10 mil a mais por ano, em comparação com andar de táxi.

O estudo, ao considerar um carro no valor de R$ 40 mil, calcula que seu custo mensal supere os R$ 1.900. Por esse mesmo valor, ainda segundo o Cefipe, é possível andar de táxi, realizando o mesmo trajeto rodado pelo carro particular, economizando mais de R$ 900 por mês.

Cálculo equivocado

Segundo o centro de estudos, poucos percebem essa grande economia, pois a maioria das pessoas considera apenas o combustível, o seguro, a manutenção e os impostos no cálculo do custo do segundo carro próprio.

É necessário acrescentar à conta uma série de outros fatores, como a depreciação do automóvel e o que o proprietário ganharia se a mesma quantia estivesse investida no banco.

"Andar de táxi é mais seguro e barato do que ter que pagar IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores), gasolina, seguro e outras despesas", afirma o presidente da Adetax (Associação das Empresas de Táxi de Frota do Município de São Paulo), Ricardo Auriemma.

Confira a tabela abaixo com os itens e seus respectivos gastos, no caso de um segundo carro e de um táxi:



Quanto se gasta mensalmente para manter o segundo carro (em R$)

Segundo carro de R$ 40 mil Taxi
1. Depreciação 444 0
2. IPVA 134 0
3. Licenciamento 10 0
4. Multas 7 0
5. Seguro 200 0
6. Franquia 33 0
7A. Estacionamento mensal 80 0
7B. Estacionamento avulso 72 0
8. Zona azul 15 0
9. Combustível 480 0
10. Lavagem 30 0
11. Troca de óleo 20 0
12. Manutenção 111 0
13. Polimento 20 0
14. Perda da aplicação 260 0
15. Andar de táxi (mensal) 0 1.008
Total R$ 1.916 R$ 1.008

Modelos compactos

Segundo a Molicar, é preciso ter cuidado com o cálculo, pois ele varia de acordo com o modelo do segundo veículo. No caso de automóveis de luxo, a comercialização é voltada ao status e design atualizado, tendendo de fato a uma depreciação considerável e a baixa procura pelos modelos usados.

Mas, em se tratando de veículos compactos, como os "populares" e as pickups de modelos leves, a depreciação não é grande, chegando no teto de 6% ao ano.

No primeiro caso, a grande ressalva refere-se à variação do mercado: se surgir um compacto mais barato, o preço do usado pode depreciar em níveis maiores. Em contrapartida, se o modelo aumentou de preço até o momento da venda, o usado acompanhará essa alta.

De qualquer forma, os "populares" tendem a atrair o interesse do mercado. Se for uma pickup, então, a venda é certa, pois há um grande interesse das transportadoras de pequeno e médio porte.

Seria recomendável a aquisição desses últimos modelos, de acordo com a Molicar, pois a utilização de táxis pode trazer problemas quanto à sua disponibilidade para corrida.

Fonte: UOL

***

É difícil se atentar para esses números quando se tem um carro, mas o resultado chega a assustar!


4 comentários:

fabio.guerra disse...

cara, não entendi o cerne da questão "segundo" carro X táxi. quem tem um segundo carro, é pq tem outro, correto? e pq alguém q tem carro precisaria de táxi, ou mesmo de um segundo carro?? qual o contexto aqui? mas, se o foco era apenas comparar "ter carro X andar de táxi" (o q é uma discussão bem interessante, já me questionei algumas vezes sobre isso), esse "segundo" da matéria do uol tornou a leitura um pouco confusa, me fez procurar algum contexto que não está claro no texto...

abraço!

Joao disse...

isso tb num carro de 40k o q ja eh um belo carro.
se vc tiver com um 1.0 zerinho as despesas sao bem menores e vc tem principalmente a comodidade para viajar.
taxi eh bom em alguns momentos, mas na maioria dos casos o carro tras mais mobilidade.

Bem, resumindo meu pensamento:
-Seria muito mais interessante discutir as noticias ao invez de so copia-las.

Rafael Seabra disse...

Vamos lá: pelo que eu entendi, o contexto é que possuir um carro seria essencial e o segundo carro (para quem tem família/outras pessoas dirigindo em casa) supérfluo. O primeiro carro seria essencial, por conta de emergências, viagens ou qualquer passeio em que todos da casa (ou você e sua esposa, pelo menos) pudessem ir no mesmo carro. Acho que o contexto é esse :)

João, a idéia de copiar um texto (com seus devidos créditos) é que seja discutido por todos nós, aqui nos comentários. O que não impede que outros textos já venham comentados. O espaço para comentários sempre esteve aberto :)

Valeu pela participação!

Gabrielle (gabriellesousa@yahoo.com.br) disse...

Acredito que não há uma paridade nos valores de gasolina e pago ao taxi com relação à quantidade de quilometros rodados.

Isto é: "roda-se" muito mais com R$ 480 de gasolina do que com R$ 1008 de taxi.

Conta simples: o quilometro rodado em recife custa R$ 1.55 (não vou nem considerar a bandeirada). Roda-se então 650 Km com R$ 1008 de taxi.

Com R$ 480 de gasolina coloco 185 litros (R$ 2.59/litro) e com 185 litros "rodo" 1.482 Km (8Km/litro). É mais do que o dobro!!!

Acho que o comparativo é interessante mas este foi COMPLETAMENTE mal elaborado.

Sds,